O papel dos jogos de mesa

No quotidiano do idoso jogar é de suma importância. Além de estimular novas aprendizagens, permite que algumas características do dia-a-dia sejam modificadas, que os hábitos e rotinas diárias sejam adaptados, vindo a substituí-las por atividades que exijam um menor grau de intensidade. Essa redução de atividade, poderá ocasionar vários problemas, como a diminuição da capacidade de concentração, coordenação e reação, solidão e até mesmo a depressão.

Estimular a memória dos idosos através da prática dos jogos de mesa, torna-se de extrema importância para um bom desenvolvimento das suas aptidões e, com isso, eleva-se a autoestima, a comunicação, a afetividade, a satisfação, o raciocínio lógico, as regras, pois são fundamentais para o processo contínuo da aprendizagem.

Os jogos de mesa são um tipo de atividade lúdica e terapêutica, que proporciona estímulos físicos, mentais e psíquicos, contribuindo para minimizar os declínios naturais do envelhecimento. Dar a oportunidade ao idoso de fazer uso de jogos e atividades lúdicas no seu quotidiano, favorece momentos de trocas, que contribuem para a socialização de saberes.

Através da prática dos jogos o indivíduo pode adquirir novas informações e desenvolver novas habilidades durante o decorrer de toda a sua vida. Nesse contexto, os jogos de mesa, poderão proporcionar momentos de aprendizagem e lazer, sem que haja necessariamente uma idade específica para a sua prática.

5966visitas total,1visitas hoje