O (des)equilíbrio ocupacional…

Estamos todos a viver uma altura menos positiva das nossas vidas, na qual temos o dever de nos proteger e a quem nos rodeia.

A pandemia de Covid-19 está a destabilizar as rotinas dos mais velhos que estão institucionalizados em lares de idosos. Esta alteração das rotinas e a diminuição das interações sociais, podem levar ao desequilíbrio ocupacional e terá um impacto significativo na saúde mental de cada um.

Algumas pessoas poderão não ser tão afetadas, mas outras pessoas podem não saber lidar tão bem com isso e é compreensível. É assim importante mantermo-nos ativos e não deixarmos de ter um equilíbrio ocupacional. Não damos conta da sua importância, mas deverá haver uma harmonia entre os cuidados (tomar banho, vestir/despir, alimentação) e o lazer (fazer coisas que gostamos).

Nesta fase de crise, em que há um aumento diário de pessoas infetadas, é fundamental que se cumpram todos os procedimentos recomendados pela DGS para que os lares continuem a ser um dos locais mais seguros para os idosos. No entanto, isso não pode significar que os idosos deixem de praticar atividades físicas e socioculturais. É necessário continuar a proporcionar pequenos momentos de alegria e descontração…

Em tempos de crise, quando pode estar em risco a saúde de uma população tão vulnerável, dois dedos de conversa e uma palavra amiga é quanto basta para que o idoso se sinta menos sozinho e isolado.

360visitas total,1visitas hoje