História da Fundação

A Instituição …

 

A criação do Lar remonta ao ano de 1896, quando a senhora D.ª Maria Balbina dos Reis Pinto deixou em testamento, à Real Irmandade de Nossa Senhora da Saúde e São Sebastião, um edifício em Campo de Ourique destinado a garantir assistência e conforto a cegos pobres.

Na sequência deste último desejo da benemérita senhora, foi criado oficialmente o Asilo de Cegos de Nossa Senhora da Saúde, por alvará, de 28 de julho de 1897 (do Governo Civil do Distrito de Lisboa), no edifício onde, ainda hoje, funciona a Fundação-Lar, tendo como primeiro presidente Pedro José Agostinho de Mendoça Rolim de Moura Barreto, 2.º Duque de Loulé (1830-1909).

Até julho de 1985 manteve a designação de Asilo de Cegos de Nossa Senhora da Saúde, tendo sido a Associação Lar de Cegos de Nossa Senhora da Saúde, até início do ano de 1989, data a partir da qual passou a designar-se por Fundação-Lar de Cegos de Nossa Senhora da Saúde (FLar), reconhecida, em 10 de fevereiro de 1989, como Pessoa Coletiva de Utilidade Pública.

Em 1987, graças à ação benemérita dos Comendadores Manuel Nunes Corrêa e sua esposa, D.ª Maria Eva Nunes Corrêa, foi possível construir um novo edifício, na área à retaguarda ocupada pelos jardins, o que permitiu aumentar a capacidade de alojamento do Lar.

Mais tarde, em 1991, com os apoios do Ministério do Emprego e Segurança Social e da Santa Casa da Misericórdia de Lisboa, foram efetuadas obras para adaptação e ampliação do edifício sede, as quais foram inauguradas a 08 de maio de 1994.

Todos os anos, no mês de junho, por ocasião das comemorações do aniversário da Fundação-Lar, os órgãos sociais da Irmandade e da Fundação-Lar recordam os seus beneméritos, cuja memória está espelhada nos utentes, incluindo alguns cegos, reafirmando o desejo secular da nossa instituidora, D.ª Maria Balbina.

Nas cerimónias do 113.º Aniversário da Fundação-Lar, em junho de 2009, foi inaugurada a atual sala de refeições, a qual só foi possível graças à ação benemérita da nossa saudosa residente, D.ª Ana Torrealba Carrasco Rebelo de Andrade, representando uma melhoria na qualidade de vida dos nossos utentes.

A Fundação-Lar, herdeira do espírito da instituidora, desenvolve a sua atividade sob a invocação de Nossa Senhora da Saúde e a administração da Real Irmandade de Nossa Senhora da Saúde e São Sebastião, tendo como missão prestar o apoio aos idosos, de modo a garantir a sua autonomia, o bem-estar subjetivo, a autoestima e o envelhecimento ativo, dignificando a pessoa e a valorização individual nas componentes biológica, psicológica, cultural e espiritual.

Atualmente, a capacidade da Fundação-Lar para as Respostas Sociais é de 105 idosos residentes no Lar e de 30 utentes no Centro de Dia.

 

Um pouco sobre D.ª Maria Balbina …

 

Durante a sua vida, D.ª Maria Balbina dos Reis Pinto (1820-1890) procurou sempre orientar a sua ação benemérita para os mais desfavorecidos, em particular para os cegos, transmitindo a mensagem de dignificação da condição humana, a qual tem perdurado na sua obra, ao longo dos tempos.
Falecida a 20 de Junho de 1890, passou os últimos anos em total alheamento com a vida real, resultado do infortúnio que a atingiu quando, em cerca de ano e meio, perdeu os seus dois filhos e uma filha, com idades próximas dos 35 anos.

Após a morte dos seus filhos, foi na sua profunda religiosidade que procurou as forças para continuar a viver, buscando o alento e as razões para atenuar as tristezas sentidas. As circunstâncias da vida exaltaram-lhe o seu sentido de justiça, humanidade e de solidariedade para com os mais necessitados, possibilitando que, através das suas decisões testamentárias, fosse inaugurado, em 23 de Maio de 1896, o Asilo para Cegos de Nossa Senhora da Saúde.

263visitas total,3visitas hoje